Professor Wambert

sec title

Sem medo de quebrar o vidro

maio 26 Artigos 0 Comment

O Artigo 81 da Constituição determina que, com menos de dois anos para o fim do mandato, assume interinamente o Presidente da Câmara e o Congresso elege o novo Presidente em trinta dias depois da vacância do cargo.  Esse é o trajeto democrático da Constituição. Como disse Churchill a democracia é a pior dos regimes, com exceção de todos os outros. O discurso da eleição direta é mais uma bravata na pseudodiscussão que tentam nos impor.

É claro que o impeachment de Temer é tão necessário quanto foi o da sua parceira e antecessora. Mas, a que serve incendiar prédios públicos? À democracia? Creio que não.

A metáfora o Brasil está pegando fogo tornou-se descrição da realidade. Já se sente o ardor de uma conflagração. Não se sabe ainda o tamanho da chama tampouco o dano que pode causar, mas o fogo não pode prosperar. É preciso tomar a mangueira guardada no armário de vidro. Ostentada e disponível, ela transmite uma sensação de segurança e conforto moral para quem as enxerga. Mas, mangueiras não são amuletos. São ferramentas que, apesar da esperança de jamais serem necessárias, devem estar prontas para o uso. Um incêndio é uma situação aterrorizante, um desafio para a paciência, mas é necessário seguir o protocolo, pegar a mangueira e apagar o fogo.

Se o Brasil fosse um país de valores cívicos elevados o Presidente Michel Temer teria renunciado. Mas, não! Enquanto o fogo se alastra, ameaça apegar-se à cadeira que o golpe militar republicano transformou em trono mágico. Poderá morrer queimado, mas o Brasil não precisa queimar também. A nossa mangueira é a Constituição Federal e os seus remédios. Ela está lá em um armário do qual é preciso apenas quebrar o vidro da porta. Se tivermos medo de cortar a mão o fogo dominará. Mas, aí, vamos ter que chamar os bombeiros.

Add Comment