Blog Details

sec title

Drogas e legalização

jun 04 Artigos 0 Comment

A afirmação de que a liberação das drogas reduzirá o tráfico não encontra respaldo na fonte científica mais confiável que existe: a realidade. No Uruguai, além do tráfico em si, homicídios relacionados ao tráfico também aumentaram. Em 1990, Nova Iorque era a capital mundial do crack. A cidade tinha um recorde de 2.245 homicídios por ano e cerca de 4% da população era dependente da droga. O prefeito na época, Rudolph Giuliani, decidiu adotar uma política de tolerância zero. Hoje, são 0,4% de usuários e o número de homicídios vem caindo, chegando a 285 no ano de 2017.

Dizer que se trata de uma questão de liberdade não encontra respaldo entre os próprios legalizadores, visto que permitir a alguém que tire a própria liberdade não é algo que estes mesmos defendem. E drogas viciam. Não se trata de liberdade, mas de responsabilidade. Alguém que esteja no vício dificilmente terá condições de refletir sobre suas atitudes, e então escolher livremente, em comparação com alguém que esteja sóbrio.

O argumento de que aumentará a arrecadação de impostos em nada tem a ver com o verdadeiro debate. É uma afirmação de pessoas que acreditam ser tudo no Estado, tudo pelo Estado e nada fora do Estado, a ponto de afirmar que a morte das pessoas e o seu mal-estar deve ser oferecido pela via estatal.

Restam dois argumentos, o de que drogas fazem bem à saúde e de que precisariam ser legalizadas por isso. Se drogas fizessem bem à saúde, não seriam proibidas. O que acontece é que algumas substâncias encontradas em drogas podem ser utilizadas para fins medicinais. O caso de remédios que só podem ser comprados com prescrição médica mostra exatamente o problema de uma droga: por mais que ela possa servir para curar, o uso indevido pode matar.

Legalizar as drogas para fins recreativos é criar uma regra para uma exceção. Se o objetivo é utilizar-se das substâncias que podem ser úteis à saúde, é preciso trabalhar com a legislação em regime de exceção, ou seja, criar a exceção para o uso de drogas ilícitas para pesquisas.

Seja como for, o país não pode mais tolerar esse mal.

Add Comment